quarta-feira 12 de maio de 2021
Home / DESTAQUE / Acompanhe, ao vivo, o depoimento de Mandetta na CPI da Covid-19
terça-feira 4 de maio de 2021 às 10:02h

Acompanhe, ao vivo, o depoimento de Mandetta na CPI da Covid-19

DESTAQUE, NOTÍCIAS


O ministro da Saúde no início da pandemia, em março de 2020, Luiz Henrique Mandetta é o primeiro nome a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19.

A CPI do Coronavírus foi instalada pelo Senado para apurar possíveis omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia e repasses de verbas a estados e municípios. Mandetta deixou o posto no mês seguinte, em abril do ano passado, após desentendimentos com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Ele vai depor na condição de testemunha. Com esse título, Mandetta não pode se recusar a responder algumas questões. Ele deve explicar as divergências que teve com Bolsonaro sobre algumas medidas de enfrentamento à pandemia.

O depoimento de Mandetta, marcado para às 10h desta terça-feira (04/05), precede outras falas no Senado. Às 14h desta terça, é a vez de Nelson Teich ser ouvido pela CPI. Ele substituiu Mandetta e ficou no cargo somente até maio de 2020.

Nesta quarta-feira (5), às 10h, Eduardo Pazuello, que foi o ministro da Saúde até março deste ano, vai depor. O próximo será Marcelo Queiroga, atual ministro, e a CPI ainda vai confirmar data e horário desse depoimento.

Leia também: O que esperar dos depoimentos dos ex-ministros da
Saúde na CPI da pandemia

Outro nome na lista de depoentes é Antonio Barra Torres, presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A tendência é que a reunião de Queiroga e Barra Torres aconteça na quinta-feira (06/05), em horários diferentes.

O que é uma CPI?

As comissões parlamentares de inquérito (CPIs) são instrumentos usados por integrantes do Poder Legislativo (vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) para investigar fato determinado de grande relevância ligado à vida econômica, social ou legal do país, de um estado ou de um município. Embora tenham poderes de Justiça e uma série de prerrogativas, comitês do tipo não podem estabelecer condenações a pessoas.

Veja também

Bolsonaro perde para governadores e prefeitos em popularidade, diz revista

Jair Bolsonaro, como se sabe, anda incentivando apoiadores a protestarem contra as medidas de segurança …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!