domingo 1 de agosto de 2021
Foto: Arquivo/Divulgação
Home / NOTÍCIAS / “Agora é começar a vacinar os jornalistas em Camaçari”, diz Júnior Borges
quinta-feira 3 de junho de 2021 às 12:38h

“Agora é começar a vacinar os jornalistas em Camaçari”, diz Júnior Borges

NOTÍCIAS, RMS


“Agora é incluir os jornalistas no processo de vacinação em Camaçari”, diz o presidente da Câmara Municipal local, Júnior Borges (DEM). Ele apresentou, no último dia 1⁰, indicação solicitando ao Poder Executivo a inclusão dos profissionais de imprensa no grupo prioritário para receber a vacinação contra a Covid-19. Um dia depois, ele comemorou decisão da Justiça Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) que consolida uma importante vitória da categoria no pleito pela imunização. Ontem (2) a instância jurídica demonstrou ter entendimento semelhante ao manifestado pelo demista, posicionando-se contra as argumentações do Ministério Público Estadual (MP-BA), que quer os comunicadores fora da lista prioritária, por considerar a medida “uma afronta às orientações do SUS”.

O Sindicato dos Jornalistas na Bahia (Sinjorba) comemorou o fato do TJ-BA ter tomado decisão contrária ao mandado de segurança impetrado pelo MP-BA, indeferindo a tentativa contra a categoria. “Agora não há razão alguma para não vacinar os profissionais de comunicação que estão na linha de frente no combate à Covid. É vacina já”, disse Moacy Neves, presidente do órgão representativo.

No que depender do chefe do Legislativo de Camaçari, o processo de inclusão da imprensa no grupo prioritário está bem encaminhado, já que nesta terça-feira (1º/6), a Indicação Nº 447/2021, de sua autoria, formalizou esta solicitação junto à Prefeitura, após ser aprovado em atividade plenária. “É uma categoria que nunca parou, participando ativamente da luta cotidiana contra o coronavírus, desmascarando notícias falsas e mantendo a população bem informada. Devido à relevância deste trabalho de utilidade pública, direcionei ao Governo Municipal este pedido para que eles recebam a vacina de forma prioritária”, explicou o parlamentar, comemorando o entendimento do TJ-BA.

Veja também

Francesa é condenada por vender certificados de vacinação falsos

Uma funcionária da Previdência Social da França foi condenada a 18 meses de prisão, dos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!