sábado 6 de março de 2021
Foto: Divulgação
Home / NEGÓCIOS / Após semestre fraco, Usiminas está preparada para se recuperar, avalia analista
quarta-feira 9 de setembro de 2020 às 16:58h

Após semestre fraco, Usiminas está preparada para se recuperar, avalia analista

NEGÓCIOS, NOTÍCIAS


Após um período marcado por fracos números operacionais em razão da forte retração do mercado de aço brasileiro com a pandemia de covid-19, a Usiminas (USIM5) deve apresentar melhores resultados no segundo semestre do ano.

A Planner atualizou as projeções da companhia. De acordo com a corretora, a recuperação deve se manter em 2021, amparada pela demanda por aço no mercado interno, com melhores preços, e pelo bom desempenho esperado para o setor de mineração.

“Os melhores preços do aço e do minério, além do aumento esperado na demanda no segundo semestre de 2020, nos fazem esperar melhores resultados no período. Além disso, os menores custos de ociosidade e a maior diluição dos custos vão também impactar positivamente os números”, disse Luiz Francisco Caetano, autor do relatório divulgado pela Planner.

Melhorias no cenário da empresa não devem demorar a aparecer. A Usiminas reativou em agosto o alto-forno 1, a aciaria 1 da usina de Ipatinga e o setor de laminação da usina de Cubatão. Com a retomada das operações, pode-se esperar um aumento na disponibilidade de produtos para venda já no terceiro trimestre.

Além disso, a Planner acredita que a potencial abertura de capital da área de mineração da CSN (CSNA3) “abre espaço para uma séria consideração da Usiminas em fazer o mesmo”, o que poderia gerar um importante ganho de valor para os acionistas.

A corretora reforçou a recomendação de compra para a ação e elevou o preço-justo de R$ 7 para R$ 11,80. Caetano destacou que o potencial de valorização, de 12%, não é grande. Isso se deve à forte alta do papel nos últimos 12 meses (38,7%).

Novas estimativas

A Planner projetou uma redução de 14,5% das vendas do segmento de siderurgia da companhia no segundo semestre. O montante deve chegar a 3,6 milhões de toneladas, com o volume de aço vendido crescendo 12% em relação à primeira metade do ano.

Em relação às vendas de minério de ferro em 2020, a corretora estimou um volume vendido entre 8,5 e 9 milhões de toneladas.

“Se o volume vendido em 2020 ficar no ponto médio deste intervalo (8,75 milhões de toneladas), haverá um crescimento de 1,6% em relação a 2019. Porém, o resultado será beneficiado pelos melhores preços em 2020”, complementou Caetano.

Veja também

Homem é preso no Brasil por espalhar coronavírus de propósito

Ele foi flagrado pela polícia cuspindo nas mãos e esfregando em maçanetas de carros após …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!