quarta-feira 14 de abril de 2021
Foto: Ascom/AL-BA
Home / NOTÍCIAS / Audiência da AL-BA sobre impactos da pandemia marca o encerramento do Mês da Mulher
sexta-feira 2 de abril de 2021 às 05:20h

Audiência da AL-BA sobre impactos da pandemia marca o encerramento do Mês da Mulher

NOTÍCIAS


Com uma emocionante audiência pública virtual sobre os Impactos da Pandemia na Vida das Mulheres, a Comissão dos Direitos da Mulher da ALBA fechou o Março Mulheres. No evento, comandado pela presidente do colegiado, deputada Olívia Santana (PCdoB), cada parlamentar da bancada feminina homenageou brasileiras atuantes, especialmente em tempos de pandemia.

Para falar sobre os recortes do tema em relação à violência, a saúde e à renda, o colegiado convidou a cientista Jaqueline Goes; a supervisora regional do Dieese, Georgina Dias; a desembargadora do TJ-BA, Nágila Brito; a secretária de Políticas para as Mulheres da Bahia, Julieta Palmeira.

As homenageadas foram a cientista baiana Jaqueline Goes, pela presidente do colegiado, Olívia Santana; Heloísa Campos Brito, pela deputada Mirela Macedo (PSD); Ane Sena, por Neusa Cadore (PT); Ceuci Nunes, pela deputada Fabíola Mansur (PSB); o coletivo Papo de Muher, por Maria del Carmen (PT); Daniela Gomes, por Ivana Bastos (PSD); e a ex-presidente Dilma Rousseff, por Fátima Nunes (PT). Talita Oliveira escolheu como homenageada a secretária de Saúde de Porto Seguro, Raissa Soares, mas estava ausente na sala virtual no momento da entrega da placa.

Palestras

Na audiência, Julieta Palmeira chamou a atenção para o papel da mulher na sociedade, que tem sido muito importante, com uma maior presença em todas as ciências, ampliando essas áreas de conhecimento para todas.

Com relação à situação das mulheres no enfrentamento à violência em tempos de pandemia, a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, Nágila Brito, colocou que, embora o Brasil tenha uma das melhores leis do mundo, é um dos piores países para uma mulher viver, ao lado da Síria e Iraque, que não protegem as suas mulheres.

“Os dados são sombrios, uma a cada 3 mulheres sofrem de violência sexual, muitas vezes estupradas ou mortas. Na pandemia a violência cresceu, e com o isolamento, as mulheres têm tido dificuldade de acesso aos serviços”, relatou.

Em se tratando da renda e sobrevivência das baianas em tempos de pandemia, a supervisora regional do Dieese, Georgina Dias, pontuou a situação precarizada, os baixos rendimentos e baixa valorização das mulheres, entre os trabalhadores do sexo masculino. Segundo ela, a pandemia potencializou o desemprego feminino na Bahia em torno 24% enquanto para o total da população a taxa é de 20%.

Palestrante e homenageada por Olívia Santana, a cientista baiana que sequenciou o coronavírus, Jaqueline Goes, dedicou a indicação “a todas as cientistas que têm se debruçado de forma incessante no combate à pandemia. Estamos no momento mais difícil da pandemia e essas mulheres estão cansadas de um ano de trabalho e ainda assim precisam manter sua integridade mental e profissional, para contribuir nesse momento mais difícil”, salientou.

Homenageada por Fabíola Mansur, a diretora do Hospital Couto Maia, Ceuci Nunes, agradeceu emocionada pelo reconhecimento do trabalho e dedicou à sua equipe, formada em mais de 70% por mulheres. “Estamos na luta árdua, tentando pelo menos falar sobre a desigualdade, precisamos lutar para que essas mulheres sejam reconhecidas também no ponto de vista financeiro”, reivindicou.

Primeira mulher a assumir como delegada Geral da Polícia Civil, Heloisa Brito, foi a homenageada de Mirela Macedo, indicação, “o que me traz uma responsabilidade muito grande”, afirmou.

Por sua vez, Neusa Cadore apontou a ativista Ane Guiomar Sena, presidente da Unisol Bahia, economista social e diretora da Central Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil. “Além de se destacar no campo da economia solidária, tem se destacado recentemente, quando se criou no comitê estadual popular e solidário que mobilizou diversos atores de diversas partes, para pautar políticas públicas para repensar esse novo modelo de sociedade e desenvolvimento sustentável”, argumentou a parlamentar.

“A minha representação aqui é a voz de todas as mulheres que, a vida toda, estiveram nos seus trabalhos mantendo suas famílias, gerando a vida e garantindo que seus filhos tivessem acesso a uma rede de proteção”, agradeceu.

A presidente da Associação dos Gestores Governamentais do Estado da Bahia, Daniella Gomes, foi a homenageada da deputada Ivana Braga. A gestora agradeceu a menção, “por estarmos comemorando o trabalho das mulheres, temos gestores de carreira trabalhando dando lastro para que as políticas públicas cheguem à população. Uma honra, como servidora pública de carreira receber essa homenagem”.

Homenageada especial da audiência, escolhida por Fátima Nunes, a ex-presidente Dilma Rousseff deixou em vídeo um pronunciamento no qual agradeceu pela homenagem e pelo orgulho de ser lembrada pelo povo baiano. “Espero que esse 31 de março seja o primeiro dia de luta da mulher brasileira pela recuperação de seus direitos contra um governo misógino e autoritário que despreza a vida. As mulheres são as grandes vítimas da pandemia e da política catastrófica e desumana do Governo Federal que leva o país a mais de 300 mil mortes, à pobreza e à fome”,

Maria del Carmen optou por homenagear um coletivo de mulheres usuárias do Centro de Saúde Mental, o Papo de Mulher, que começou com mulheres de um CAP, e hoje já envolvem todos os CAPs de Salvador, representada, no evento, pela jornalista e poetisa Laide Bonfim.

Veja também

Brasileiro perdeu quase 2 anos de expectativa de vida na pandemia, e 2021 deve ser pior, diz demógrafa de Harvard

O brasileiro perdeu quase dois anos de expectativa de vida em 2020 por causa da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!