quarta-feira 30 de setembro de 2020
Foto: Reuters
Home / Mundo / MUNDO / Chefe da OMS diz que mundo não será mais o mesmo após pandemia
quarta-feira 15 de julho de 2020 às 16:40h

Chefe da OMS diz que mundo não será mais o mesmo após pandemia

MUNDO, NOTÍCIAS


O mundo não vai voltar a ser o que era antes da pandemia da Covid-19 pelo menos não num futuro próximo. A declaração é do diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Ghebreyesus.

Em entrevista a jornalistas, em Genebra, Tedros contou que foram notificados 230 mil novos casos no domingo, e que quase 80% das infecções vêm de apenas 10 países. Atualmente, as Américas concentram a metade de todos os casos do novo coronavírus.

E para a OMS, ainda que a quantidade diária de mortes tenha baixado, os motivos para preocupação continuam. Até esta segunda-feira, havia 566.355 mortes pela doença e 12.750.275 casos confirmados em todo o globo.

Três passos

Tedros sugeriu três passos para baixar o número de novas infecções. Em primeiro lugar, reduzir as taxas de mortalidade e conter a transmissão. Depois, seguir engajando as comunidades para incentivar medidas individuais de proteção no interesse de todos.

E por último, uma liderança governamental forte com coordenação de estratégias que são comunicadas à população de formas clara e consistente.

A agência lembra que todos os países estão sob risco da pandemia, mas nem todos foram afetados da mesma forma. Tedros acredita que as nações que seguiram as recomendações da OMS e estiveram alertas têm a situação mais bem controlada e sem maiores surtos.  Ele traçou quatro cenários sobre o controle da doença no mundo.

Economia

Como primeiro citou são o “bom exemplo” de várias nações no sudeste da Ásia, no Caribe e África e no Pacífico. Para a OMS, o segredo aqui foi a comunicação dos líderes de forma rápida e eficiente sobre as medidas a serem tomadas incluindo isolamento e proteção.

Em segundo lugar, a OMS fala de países que passaram por grandes surtos, mas que controlaram o quadro com base numa liderança forte e na cooperação da população que seguiu as medidas de combate. Nesse quadro, estão muitos países na Europa que conseguiram conter uma maior onda de contaminação.

Para Tedros, em ambos os casos, a economia está sendo reaberta aos poucos e em passos apoiados pelos cidadãos.

Como terceiro cenário, ele falou de países que já venceram o primeiro pico de infecções e que relaxaram as restrições, mas que por isso estão passando por novos picos e aumentos de casos, com as enfermarias sendo lotadas por novos pacientes de Covid-19.

Restrições

E por último, a OMS cita nações que atravessam uma fase intensa de transmissões como nas Américas, no Sul da Ásia e em várias partes da África.

Para Tedros nunca é tarde para conter o avanço do vírus com medidas acertadas. Em alguns casos, houve um retorno às restrições para diminuir o aumento de novos casos.

O diretor-geral afirmou que mensagens desencontradas de líderes políticos sobre a pandemia tendem a minar a confiança da população. E com isso, o vírus vai contaminando mais pessoas.

Ele lembrou que os governos devem ser claros na comunicação e apresentarem uma estratégia para salvar vidas, e as pessoas devem lavar as mãos, usar máscaras e praticar o distanciamento social. Se forem tossir, usarem o cotovelo para não passar o vírus a outros, e se estiverem doentes, ficarem em casa.

Para ele, cada um pode fazer a sua parte. “Não é fácil, mas é possível”, concluiu.

Veja também

Kassio Nunes no STF é vitória do centrão, mas alegra petistas

Se o nome do desembargador do TRF-1 Kassio Nunes for de fato indicado por Jair …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!