sexta-feira 23 de abril de 2021
Foto: Reprodução
Home / CURIOSIDADES / Estados Unidos detectam avaria em satélite brasileiro lançado no último fim de semana
quarta-feira 3 de março de 2021 às 15:11h

Estados Unidos detectam avaria em satélite brasileiro lançado no último fim de semana

CURIOSIDADES, NOTÍCIAS


O Sistema de Monitoramento de Comunicações dos Estados Unidos (Satcom) informou que foram detectadas ondas de frequência irregulares no sinal do satélite brasileiro Amazônia-1, lançado ao espaço no último domingo (28) pela Índia. O projeto tem como foco monitorar o desmatamento na Amazônia e custou R$ 480 milhões.

A importância do primeiro satélite 100% brasileiro, o Amazônia 1 | Mundo |  G1

O lançamento ocorreu no Centro de Lançamento Sriharikota, na Índia. Ele foi enviado para fora do planeta junto com os satélites do Sindhu Netra, da India, Nanoconnect-2 e SpaceBee (12), ambos dos Estados Unidos. De acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia, a operação ocorreu com sucesso. O mesmo informou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e autoridades da Índia.

Sou Ecológico | Satélite Amazonia 1 é embarcado para a Índia

No entanto, um dos satélites norte-americanos detectou variações importantes na banda S do satélite, que transmite na frequência UHF. Essas irregularidades podem apontar que o satélite está descontrolado no espaço, e até mesmo com risco de cair na Terra. “Amazônia-1 passa na Banda S. Parece estar caindo … Talvez não seja tão bom para Banda-X”, postou o Satcom no Twitter.

Satélites italianos também detectaram as mesmas ondas irregulares. Procurado pelo jornal Correio Braziliense, o Ministério da Ciência e Tecnologia afirmou que o Inpe informou que o satélite opera normalmente, e negou que esteja fora de controle.

Em 17 minutos, o Amazônia-1 abriu seu painel solar, fez a verificação dos sistemas e se orientou em relação à Terra. Agora pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) testam todos os sistemas.

O projeto custou R$ 380 milhões. A missão é capturar imagens de alta resolução. Ele vai enviar dados para três estações no Brasil, em Cuiabá (MT), em Alcântara (MA) e em Cachoeira Paulista (SP).

O projeto começou há treze anos e o lançamento quase não ocorreu por falta de verba, já que as bolsas de 107 pesquisadores do Inpe foram cortadas. A Agência Espacial Brasileira (AEB) precisou destinar recursos para manter os cientistas no projeto. A Índia recebeu R$ 140 milhões para realizar o lançamento.

Veja também

Covid na Índia: Com 'corpos e ambulâncias por todos os lados', a crise em estado mais populoso que o Brasil

O pai de Kanwal Jeet Singh morreu na semana passada em uma ambulância enquanto era …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!