quarta-feira 16 de junho de 2021
Foto: Reprodução
Home / Mundo / MUNDO / Farmacêutico sabota vacinas contra covid é condenado a 3 anos de prisão
quarta-feira 9 de junho de 2021 às 18:44h

Farmacêutico sabota vacinas contra covid é condenado a 3 anos de prisão

MUNDO, NOTÍCIAS


O homem removeu intencionalmente os frascos de vacina Moderna – que deve ser mantida em uma temperatura específica para permanecer eficaz – de uma unidade de refrigeração de hospital durante dois turnos noturnos

O farmacêutico americano, Steven Brandenburg, que tentou destruir cerca de 500 doses de vacina contra covid-19 porque acreditava que não era seguro para as pessoas foi condenado a três anos de prisão federal, na última terça-feira (9).

Segundo um comunicado à imprensa do Departamento de Justiça dos EUA, o homem removeu intencionalmente os frascos de vacina Moderna – que deve ser mantida em uma temperatura específica para permanecer eficaz – de uma unidade de refrigeração de hospital durante dois turnos noturnos, em dezembro de 2020.

Ele afirmou que era cético em relação às vacinas em geral, especificamente à Moderna. Investigadores explicaram que ele é adepto confesso de teorias conspiratórias.

O homem não conseguiu estragar as vacinas. E parte delas já foi utilizada em algumas pessoas, com consentimento de todas. Não há provas de que as vacinas tenham sofrido danos, de acordo com o hospital onde elas foram aplicadas.

“Brandenburg reconheceu que depois de deixar as vacinas por várias horas todas as noites, ele as devolvia à geladeira para serem usadas na clínica de vacinas do hospital no dia seguinte”, disse o comunicado. “Antes que toda a extensão da conduta de Brandenburg fosse descoberta, 57 pessoas receberam doses da vacina desses frascos.”

Brandenburg se desculpou antes que o juiz distrital dos EUA, Brett Ludwig, o sentenciasse nesta terça-feira, segundo a afiliada da CNN WTMJ.

“Não tinha o direito de tomar esta decisão”, disse Brandenburg, acrescentando que se sente “péssimo” e está “desesperadamente arrependido e envergonhado”.

O farmacêutico trabalhava para a Aurora Medical Center, em Grafton, no estado de Wisconsin. “Com a segurança sempre nossa prioridade, continuamos avançando após as ações desprezíveis desse indivíduo. Desde este incidente, nosso programa de vacinação bem-sucedido continuou com mais de 700.000 doses administradas até o momento”, disse o advogado da Aurora Health, à emissora americana CNN.

Veja também

Procon-BA inicia fiscalização de lojas de fogos de artifício em Salvador e Lauro de Freitas

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor da Bahia (Procon-BA) iniciou nesta quarta-feira (16) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!