quarta-feira 14 de abril de 2021
Foto: Reprodução/Youtube Roda Viva
Home / NOTÍCIAS / ‘Governo errou na vacinação, mas crime depende de dolo’, diz Pacheco
terça-feira 2 de março de 2021 às 06:38h

‘Governo errou na vacinação, mas crime depende de dolo’, diz Pacheco

NOTÍCIAS


Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apontou a demora na vacinação como erro do governo federal no combate à covid-19. Ele, no entanto, não quis se posicionar se isso poderia configurar crime de responsabilidade.

Durante todo o programa, mesmo pressionado diversas vezes, Pacheco manteve o discurso conciliador que predomina desde que assumiu a presidência do Senado e adotou um tom ameno em relação ao presidente Jair Bolsonaro.

O senador, que foi eleito para o comando do Congresso com apoio do presidente da República, disse que não se arrepende de ter votado em Bolsonaro no segundo turno em 2018 e evitou tecer críticas ao governo federal, mesmo em relação à condução do combate à pandemia de covid-19.

“(O erro do governo) foi não ter sido ágil na questão da vacinação”, afirmou. “Essa validação se é crime de responsabilidade ou não se dá no âmbito do processo, porque crime depende de dolo, depende da intenção de fazer”, completou.

Mesmo apontando a falha, o senador fez a ressalva de que esta questão não é exclusiva do Brasil. “Houve o mesmo problema em diversos outros países, essas dificuldades são próprias de uma pandemia que pegou todos de surpresa”, falou.

Pacheco defendeu que é necessário separar as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia das políticas propostas pelo Ministério da Saúde. Ele disse que confia no que disse o ministro Eduardo Pazuello de que estarão disponíveis 25 milhões de doses da vacina em março e 45 milhões em abril.

O presidente do Senado até admitiu que se ficasse doente, tomaria remédios sem eficácia comprovada para a covid-19, como cloroquina e ivermectina, caso fossem receitados por um médico.

Veja também

Brasileiro perdeu quase 2 anos de expectativa de vida na pandemia, e 2021 deve ser pior, diz demógrafa de Harvard

O brasileiro perdeu quase dois anos de expectativa de vida em 2020 por causa da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!