segunda-feira 1 de março de 2021
A carga ajudará a abastecer e reforçar com o gás as unidades de saúde da região amazonense - Foto: Ministério da Defesa
Home / DESTAQUE / Governo Federal promove série de ações para ajudar a população do Amazonas
domingo 17 de janeiro de 2021 às 14:35h

Governo Federal promove série de ações para ajudar a população do Amazonas

DESTAQUE, NOTÍCIAS


OMinistério da Saúde enviou, por avião, mais 80 cilindros com oxigênio hospitalar para Manaus (AM) nesse sábado (16). A carga ajudará a abastecer e reforçar com o gás as unidades de saúde da região amazonense. O transporte foi feito com a mesma aeronave que buscará, em breve, 2 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em Mumbai, na Índia.

O aparelho A330neo, da companhia Azul, que estava no pátio do aeroporto de Recife (PE), seguiu às 23h de sexta-feira (15) para o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), para ser carregado com o material.

Ainda na sexta-feira (15), o Ministério da Saúde conseguiu cilindros de oxigênio para manter 61 bebês prematuros por mais 48h em leitos de UTI em Manaus (AM). A pasta já articulou com estados e municípios a disponibilidade inicial de 56 leitos de UTI que poderão receber os recém-nascidos, caso seja necessário: 25 em Curitiba (PR), 11 em Vitória (ES), nove em Imperatriz (MA), quatro em Salvador (BA), três em Feira de Santana (BA), um em Ariquemes (RO) e três no município de Macapá (AM).

Já os pacientes com Covid-19 internados em leitos clínicos em Manaus começaram a ser transferidos – também na sexta-feira (15) – para oito capitais brasileiras numa ação coordenada pelo Ministério da Saúde que visa a desafogar a rede assistencial pública e privada do Amazonas. A articulação envolve os governos estaduais e também do Distrito Federal.

As transferências ocorreram por avião e já estão garantidos – de imediato – 149 leitos: 40 em São Luís (MA); 30 em Teresina (PI); 15 em João Pessoa (PB); 10 em Natal (RN); 20 em Goiânia (GO); quatro em Fortaleza (CE); 10 em Recife (PE) e 20 no Distrito Federal.

Outras ações emergenciais

Até o momento, foram recrutados 198 médicos, 562 enfermeiros, 1.212 técnicos de enfermagem, 313 fisioterapeutas e 263 farmacêuticos que poderão fortalecer o atendimento nos serviços da rede pública de Manaus. No total, a pasta contatou 30.196 profissionais para atender à iniciativa.

Além da convocação de profissionais, o Ministério da Saúde está levando equipamentos, insumos e medicamentos para fortalecer a assistência no Amazonas frente ao cenário epidemiológico do estado.

Já foram enviados 700 cilindros de oxigênio, 78 ventiladores pulmonares, 40,5 mil unidades de medicamentos para intubação, 125 mil máscaras N95, 247 mil máscaras cirúrgicas, 200 mil luvas, 180 monitores, 373 bombas de infusão, 6.900 equipos e 78 ventiladores pulmonares (40 exclusivos para o interior do estado).

De acordo com o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Covid (COE-Covid19), coronel Nivaldo Alves de Moura Filho, “a distribuição do material prioriza as unidades hospitalares com maior número de pacientes a serem atendidos”.

Enfermaria de campanha

O Governo Federal enviou estrutura e materiais para construir a enfermaria de campanha na área externa do Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, em Manaus (AM). A unidade é referência da rede estadual de saúde para tratamento de Covid-19. A entrega foi feita por um Hércules KC-390 na capital amazonense no início da tarde desse sábado (16).

A enfermaria de campanha contará, inicialmente, com 60 leitos – como já havia anunciado o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante pronunciamento à imprensa na última quarta-feira (13) na capital amazonense.

A nova estrutura aumentará a capacidade de atendimento para enfrentamento ao crescimento do número casos de pessoas contaminadas pelo Covid-19 no Amazonas.

A ação é resultado da parceria entre o Governo Federal, governo do Amazonas e Forças Armadas.

Assistência farmacêutica

Diante do cenário epidemiológico da Covid-19 no Amazonas, o Ministério da Saúde decidiu ampliar a assistência farmacêutica para tratamento dos pacientes no local. A pasta já enviou ao estado 1,5 milhão de unidades de medicamentos para apoio no tratamento da doença, incluindo 250 mil comprimidos de oseltamivir e 40,5 mil ampolas de medicamento para intubação orotraqueal (IOT), usados nos casos mais graves da doença.

Para tratamento de outras condições clínicas, também houve distribuição dos medicamentos enoxaparina sódica 40mg/0,4mL e imunoglobulina humana 5mg.

Financiamento

Como parte do apoio emergencial, o Ministério da Saúde antecipou também financiamento de R$ 2,5 milhões ao Amazonas para reforço da assistência farmacêutica. Foram R$ 2 milhões para o Componente Básico da Assistência Farmacêutica – dos quais R$ 1 milhão para o município de Manaus – e R$ 502 mil do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica estadual.

Ainda no âmbito das ações de reforço ao sistema de saúde do Amazonas, o ministério encaminhou comunicado às farmácias credenciadas no Programa Farmácia Popular para que permaneçam atentas aos estoques e à demanda da população usuária do programa. Caso haja necessidade de reabastecimento, as farmácias devem avisar ao ministério para a devida reposição.

Em contato com a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, ainda, a pasta solicitou uma lista dos medicamentos para outras condições clínicas que não a Covid-19 e que necessitam de reposição, para que eles sejam providenciados e tenham os envios antecipados ao estado.

Força Nacional do SUS

A Força Nacional do SUS (FN-SUS) atua em Manaus para apoiar os esforços do Ministério da Saúde no enfrentamento à Covid-19. A equipe fez o diagnóstico in loco e identificou os principais pontos de fragilidade da rede de saúde do estado e, especialmente, em Manaus, cidade que centraliza todas as internações clínicas, UTI de especialidades médicas, oncologia e demais serviços na região.

“A FN-SUS existe para momentos como este, quando precisamos concentrar esforços e aplicar todas as ferramentas de gestão hospitalar à disposição do Ministério da Saúde para obter resultados rápidos, necessários e fundamentais para a população do Amazonas”, explicou a diretora do Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Emergência (DAHU/SAES), Adriana Teixeira.

A principal metodologia aplicada pelo Ministério da Saúde é o Lean nas Emergências. Os especialistas implementaram gabinetes de crise em 17 serviços de saúde, entre eles hospitais, Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24h e unidades de pronto-atendimento, além de reorganização de demandas, gestão no giro de leitos e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por exemplo. Cada gabinete recebe dados em tempo real para a tomada de decisão, assim como atua na integração das equipes estaduais e municipais, criando fluxos de regulação e estabelecendo critérios de triagem dos pacientes ao longo da permanência na rede de saúde.

Além disso, o esforço tripartite no Amazonas culminou na criação de um Centro de Operações de Emergência (COE) estadual, um grupo crítico para o gerenciamento dos recursos já destinados pelo Ministério da Saúde – e a recente missão liderada, pessoalmente, pelo ministro Eduardo Pazuello – ao Amazonas dentro do Plano de Contingência e Ação.

A iniciativa é uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital Sírio Libanês e faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS).

Governo zera imposto de importação

O imposto de importação de mais de 250 itens médicos, hospitalares e EPI, necessários ao combate à Covid-19, como luvas, aventais e máscaras, foi zerado nesse sábado (16), temporariamente, por aprovação do Comitê Executivo de Gestão da Secretaria-Executiva da Câmara de Comércio Exterior (Gecex).

A decisão, que vigora até 30 de junho de 2021, faz parte dos esforços governamentais para o enfrentamento da doença, abarca outros insumos fundamentais ao dia a dia dos profissionais encarregados de tratar vítimas da doença, como monitores de sinais vitais, sensores de oxigênio e cilindros para armazenamento de gases medicinais.

Veja também

Usar máscara no Palácio do Planalto causa constrangimento, diz coluna

Da recepção aos gabinetes, o não uso de máscaras para combater o espalhamento da Covid-19 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!