quinta-feira 1 de outubro de 2020
Foto: Reprodução/TV Câmara
Home / NOTÍCIAS / João Roma comemora aprovação de nova lei do gás natural: “Vai gerar mais de 4 milhões de empregos”
quarta-feira 2 de setembro de 2020 às 11:18h

João Roma comemora aprovação de nova lei do gás natural: “Vai gerar mais de 4 milhões de empregos”

NOTÍCIAS, POLÍTICA


O deputado federal João Roma (Republicanos) afirmou nesta quarta-feira (2) que a nova lei do gás natural será fudamental para a retomada do crescimento econômico do Brasil pós-pandemia, com a geração de mais de 4 milhões de empregos e atração em torno de R$ 60 bilhões em investimentos para o Brasil neste setor. Aprovado na noite desta última terça-feira (1°) pela Câmara dos Deputados, o texto segue agora para o Senado.

Roma presidiu parte da sessão que apreciou a matéria nesta terça e ressaltou que a abertura do mercado deste setor tão estratégico vai fazer a economia brasileira avançar, trazendo benefícios para toda uma cadeia produtiva que depende do produto para existir, além de proporcionar preços mais baratos para o consumidor final.

“Mais do que uma importante conquista para o Brasil, essa é uma medida fundamental para o desenvolvimento do nosso nordeste, para a retomada do avanço da nossa economia, para que possamos abrir uma nova fronteira, ampliar esse mercado e, claro, para que a gente possa fazer uma melhor utilização deste insumo que é, na verdade, um combustível de transição de uma energia mais poluente para uma energia renovável”, afirmou.

O deputado participou ativamente dos debates em torno da nova lei tanto na Comissão de Minas e Energia quanto nas discussões no plenário. “Teremos agora uma legislação mais moderna e que vai atrair para o Brasil em torno de R$ 60 bilhões em investimentos neste setor, proporcionando a geração de mais de 4 milhões de empregos nos próximos anos”, frisou.

Com a maior competitividade do setor e consequentemente o menor custo, Roma destaca que diversos setores serão beneficiados, uma vez que o gás é utilizado na produção de cerâmica, vidro, celulose, alimentos, cimento e automóveis, além de produtos químicos e aqueles usados na exploração de minérios.

A nova lei prevê, entre outros pontos, a autorização em vez de concessão para o transporte de gás natural e estocagem em jazidas esgotadas de petróleo. Segundo o texto, a outorga dessa autorização para a construção ou ampliação de gasodutos deverá ocorrer após chamada pública a ser realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A matéria ainda acaba com a exclusividade dos estados na atividade de distribuição de gás natural, seja diretamente ou por concessão, permitindo ainda sua exploração pelas concessionárias privadas de energia elétrica.

Veja também

Kassio Nunes no STF é vitória do centrão, mas alegra petistas

Se o nome do desembargador do TRF-1 Kassio Nunes for de fato indicado por Jair …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!