terça-feira 29 de setembro de 2020
Foto: Reprodução/Exército
Home / CURIOSIDADES / Nitrato de amônio é controlado pelo Exército no Brasil e serve como fertilizante
quarta-feira 5 de agosto de 2020 às 10:39h

Nitrato de amônio é controlado pelo Exército no Brasil e serve como fertilizante

CURIOSIDADES, NOTÍCIAS


Em seu estado em temperatura ambiente, o nitrato de amônio geralmente tem aparência de bolinhas brancas, sólidas, que se assemelham a remédios de homeopatia e são menores que pérolas.

Em pequenas quantidades e bem armazenado, o produto não é perigoso, mas para uso industrial ele requer uma série de cuidados. É preciso usar luvas, óculos e máscara de proteção, manter o produto afastado da roupa, manter afastado do calor e não armazenar com combustíveis, como gasolina, diesel e álcool.

O produto é transportado por caminhões do tipo bitrem, que carregam cerca de 40 toneladas do produto e por navios, que chegam a levar 30 mil toneladas. No Brasil, o nitrato de amônio chega importado por países como Rússia e Emirados Árabes.

Nas contas da Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo), o Brasil importou cerca de um milhão de toneladas de nitrato de amônio em 2018. Ele é usado tanto para fertilização de plantas quanto para a mineração, em forma de explosivos pra ajudar nas escavações.

Conforme a CNN, pelo perigo do manuseio do nitrato de amônio, ele é considerado uma substância de “interesse militar”. Isso significa que a fabricação, transporte, comercialização e o uso do produto estão sujeitos ao controle do Exército. São os militares que dão a licença para as empresas que querem trazê-lo para o Brasil.

Outro problema dele é que os gases que saem da explosão são extremamente tóxicos — e as tentativas de abafar incêndios causados por ele podem acabar gerando mais explosões.

O professor de química Emiliano Chemello afirma que a expansão dos gases gerados pelo aquecimento do nitrato de amônio explicam a gigante explosão.

“O curto circuito gerou um incêndio e esse incêndio elevou a temperatura onde estava armazenado 2750 toneladas de nitrato de amônio e fez com que esse nitrato de amônio sofresse uma decomposição. Essa decomposição vai gerar gás nitrogênio, gás oxigênio e vapor de água. Esses três gases como a reação libera calor, eles vão expandir, e essa expansão é o que explica a grande explosão que chocou o mundo inteiro”, diz.

Veja também

Quanto ouro ainda há para ser extraído no mundo (e quem tem as maiores reservas minerais)

No mês passado, o preço do ouro atingiu seu recorde, ultrapassando US$ 2.000 a onça …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!