domingo 25 de outubro de 2020
Foto: Reprodução / TV Bahia
Home / DESTAQUE / ‘Nós não temos condições de ter as aulas presenciais’, diz secretário de educação da Bahia
quinta-feira 1 de outubro de 2020 às 07:02h

‘Nós não temos condições de ter as aulas presenciais’, diz secretário de educação da Bahia

DESTAQUE, NOTÍCIAS


secretário de Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, afirmou em entrevista nesta última quarta-feira (30) para a TV, que a Bahia ainda não tem condições de voltar a ter aulas presenciais. Segundo ele, o índice de diagnósticos positivos para Covid-19 na comunidade escolar testada, até agora, pelo governo do estado, tem sido determinante para que as atividades continuem suspensas.

Na região do subúrbio ferroviário de Salvador, por exemplo, 6% das pessoas testadas nas escolas tiveram resultado positivo.

“Nós não temos condições de ter as aulas presenciais, isso é um fator que está nos levando, ou seja, se nós estamos com 6% de estudantes, professores e servidores com Covid-19, você imagina isso multiplicado por seus familiares, por seus grupos de amigos. Isso se multiplica e se fortalece com maior rapidez”, analisou o secretário de educação.

Mesmo sem uma previsão de retorno, Jerônimo Rodrigues acredita que os testes nas escolas são importantes para monitorar a doença entre os alunos e as famílias.

O primeiro decreto de suspensão das aulas foi publicado ainda no mês de março, após os primeiros casos da Covid-19 na Bahia. Ele tem sido prorrogado desde então, como medida preventiva ao coronavírus.

O estudante Márcio Luiz fez o teste há 15 dias, mas ainda não recebeu o resultado. O jovem conta que tem medo de voltar para a escola nesse momento.

“Muita gente não vai cumprir as regras, não vai lavar as mãos, fazer o distanciamento, muita gente não vai fazer isso”, disse o estudante.

Lucia Bahia, outra estudante da rede pública, também acha que não dá para retornar às aulas, porque ela mora em uma casa que tem pessoas do grupo de risco. A jovem não fez o teste na escola, em Paripe, porque ficou com medo de ser infectada por alguém que pudesse estar com Covid-19.

“Eu não tenho segurança de ir para a escola, de frequentar aquele ambiente, não sabendo se vai ter estrutura para manter os protocolos de segurança”, contou Lucia Bahia.

Em nota, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) afirma que as testagens são feitas seguindo protocolos de segurança.

O virologista Gúbio Soares, pesquisador responsável por identificar o Zika Vírus no país, diz que não há previsão de retorno das aulas a curto prazo. O profissional conta que é bem provável que será preciso testar novamente os estudantes e lembra que ainda não há uma definição se quem já teve a doença está imune ao vírus.

“Nós não sabemos ainda quais são as defesas reais contraídas no nosso organismo. O que acontece com o sistema imunológico não está bem caracterizado, bem estudado. Qualquer período depois de outubro, que volte as aulas, vai ter que fazer novamente os testes e tem que ser testes não sorológicos”.

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) disponibilizou mais novos 70 conteúdos dos Roteiros de Estudos, totalizando 980 atividades disponíveis. Os conteúdos trabalhados são das áreas de Matemática e Ciências da Natureza.

Desenvolvidos desde o início da suspensão das aulas, decorrente da pandemia do novo Coronavírus, os roteiros são direcionados a estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3ª ano do Ensino Médio. Para acessar o conteúdo, basta entrar no site Portal da Educação.

Testagem em escolas

Os testes nas escolas estaduais da Bahia começaram no mês de junho em Ipiaú, Uruçuca e Itajuípe. A testagem também foi feita no sul do estado e em Salvador. Nesta semana, a ação segue com cronograma nos bairros de Cajazeiras, Fazenda Grande 2, Dom Avelar, Águas Claras, Castelo Branco e Valéria.

  • Nesta quarta-feira (30), começou a testagem nas escolas em Cajazeiras, Fazenda Grande 2, Dom Avelar, Águas Claras, Castelo Branco e Valéria. É a terceira fase dos teste nas escolas estaduais e vai até dia 9 de outubro. A expetativa do Governo é testar 20.1882 pessoas, em 21 escolas.
  • No dia 31 de agosto, os testes começaram em Salvador, no subúrbio. A expectativa era que 30 mil fizessem o teste, mas só pouco mais de 8 mil compareceram.
  • No início de agosto, os testes foram feitos em Itabuna, Ilhéus e Jequié. A Secretaria de Educação não informou quantos testes foram feitos e nem o resultado.
  • No dia 25 de junho, começaram os testes em Ipiaú, Uruçuca e Itajuípe. Mais de 2.600 pessoas da comunidade escolar foram testadas e 149 tiveram resultado positivo, ou seja, 5,66%.

Veja também

“Vacina obrigatória só no Faísca”, diz Bolsonaro em postagem

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para brincar com o embate em torno …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!