domingo 9 de maio de 2021
Foto: Max Haack/Secom
Home / NOTÍCIAS / Pais e professores relatam expectativa do retorno às aulas semipresenciais
segunda-feira 26 de abril de 2021 às 17:58h

Pais e professores relatam expectativa do retorno às aulas semipresenciais

NOTÍCIAS


Com a retomada das aulas semipresenciais nas escolas públicas e privadas de Salvador na próxima segunda-feira (3), a expectativa entre alunos e professores é grande sobre como será o reencontro. As escolas municipais já estão preparadas – dentre as medidas estão a instalação de dispensadores de álcool gel, demarcação nas escadas de subida e descida e também do distanciamento em sala de aula.

No Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Clarice de Almeida Ferreira, no Calabar, a diretora Kelle Gentil está ansiosa para receber os alunos de volta. A gestora afirma que as equipes estão capacitadas para as atividades semipresenciais. A escola foi reformada recentemente e foi entregue no final de 2020, já com todos os ajustes necessários por conta da pandemia.

A instituição atende crianças dos 2 aos 5 anos, e o plano de aula já utilizado nas aulas remotas será adaptado para a sala com a presença dos pequenos. “No semipresencial, a atividade será adequada com visitas a brinquedoteca, biblioteca e parque. A diferença é que, em casa, será com apoio dos pais e, na escola, com apoio do professor e auxiliar de desenvolvimento infantil”, disse Kelle.

A dona de casa Maria Victória Araújo, de 22 anos, têm dois filhos na escola. Os pequenos José Ricardo, de 2 anos, e Agatha Victória, de 5 anos, se sentiram à vontade no momento em que entraram na sala de aula durante a semana de acolhimento. “Quando chegamos à escola, visitamos as salas. Aí, quando viram os brinquedos, sentaram para brincar. E eles são crianças que quando chegam a algum lugar se sentem retraídos, mas na sala de aula eles logo se soltaram”, disse a mãe.

Pra Maria Victória, a expectativa do retorno é boa, até mesmo para as crianças saírem um pouco de casa, depois de meses seguindo a quarentena à risca. “Poder voltar em um novo normal é um bom passo”, falou a jovem.

Semana de Acolhimento

A partir desta segunda-feira (26) até a sexta (30), as escolas do município estarão abertas para a realização da semana de visitação e acolhimento. Nesse período, os pais dos alunos poderão ir às unidades para conversar com dirigentes sobre o retorno.

As escolas da rede municipal já atendem os protocolos sanitários para uso de cada espaço. As medidas envolvem desde o processo diário de higienização até medidas de distanciamento que deverão ser respeitadas entre os trabalhadores e estudantes.

Durante a semana de acolhimento, inclusive, há protocolos definidos para a ambientação. Terão prioridade de visitação os alunos da Educação Infantil e 1º ano do Ensino Fundamental; haverá horários distintos de entrada e saída por grupo; turnos especiais de, no máximo, duas horas para cada grupo, no turno ou contra turno de matrícula do aluno.

Os grupos devem ser acompanhados pelo professor regente ou profissional devidamente preparado e definido pela escola; haverá atividades lúdicas, voltadas para a conscientização do momento, preparação para o retorno e acolhimento dos alunos, com ênfase nas competências socioemocionais.

Decreto

O decreto municipal divulgado no sábado (24) reitera que as áreas comuns das instituições devem ser higienizadas ao menos duas vezes por turno, e o distanciamento mínimo de 1,5 metro deve ser respeitado. Dispensadores de álcool gel 70% devem ser colocados à disposição, em quantidade compatível à estrutura e de pessoas circulando na instituição.

Uso de máscara

Alunos, colaboradores, professores, pais e responsáveis, visitantes e prestadores de serviço devem usar a máscara obrigatoriamente durante todo o tempo de permanência na escola. Já os alunos da Educação Infantil (0 a 5 anos) e portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA) não serão obrigados a usar máscara, porém devem ser orientados a evitar contato físico.

A entrada e saída deve ser organizada de forma a evitar aglomerações, respeitando o distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas, recomendando preferencialmente o uso de escadas. Os horários de entrada e saída e intervalos devem ser organizados de forma a evitar aglomerações e, se possível, designar portas específicas de entrada e saída, além de marcação no chão, dos fluxos de circulação interna, evitando o cruzamento de pessoas. A temperatura deve ser aferida na chegada à escola e aqueles com resultado igual ou superior a 37,5ºC devem ser direcionados para acompanhamento de saúde adequado.

Alimentação

A higienização das unidades de alimentação escolar deve ocorrer no princípio e ao final do dia, e quando se fizer necessário e as refeições poderão ser realizadas em sala de aula ou espaços ao ar livre, tudo devidamente higienizado. As unidades de ensino devem evitar o uso de self-service.

Caso seja mantida a opção pelo autosserviço, é fundamental o uso de luvas descartáveis individuais e com uso de máscaras de proteção facial pelos funcionários que irão realizar a divisão das refeições. As instituições de ensino serão responsáveis pelo ordenamento das filas, com uso de monitores se necessário, para garantir o afastamento das pessoas e obrigatoriedade do uso das máscaras.

Todos os funcionários que servem ou entregam os alimentos aos alunos e funcionários devem usar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados, e é recomendado que cada aluno utilize kits de talheres, pratos e copos individuais e próprios, ou talheres descartáveis. Para o consumo dos alimentos, os alunos devem ser orientados a manter o uso de máscaras até o horário de iniciar a refeição e tirarem a máscara com cuidado ao se alimentarem, tocando apenas nos elásticos e guardá-las de forma adequada, evitando colocar a máscara diretamente sobre a mesa.

Os eventos que geram aglomeração devem ser evitados e o atendimento aos pais e responsáveis deve ser feito prioritariamente através de contato por telefone ou atendimento on-line. Caso tenha a necessidade de ser presencial, é importante que seja feito o agendamento, ou através de drive-thru.

Casos

Os casos confirmados de Covid-19 deverão suspender as aulas presenciais, por um período de dez dias, dos alunos pertencentes àquela sala de aula ou dos funcionários. A pessoa que estiver suspeita ou confirmada para o novo coronavírus deve realizar isolamento de dez dias para aqueles alunos e colaboradores que apresentarem contato ou permanecerem no mesmo espaço que o confirmado por mais de 15 minutos. E preferencialmente, as instituições devem avaliar a viabilidade de oferecer aulas remotas e on-line para esse público.

É fundamental que os casos confirmados de Covid-19 detectados sejam notificados imediatamente às autoridades de saúde. O retorno de alunos, colaboradores, professores, consultores e visitantes que tiverem algum contato só será permitido após dez dias de isolamento e somente após 24h sem sintomas, tais como febre sem uso de antitérmicos e sintomas respiratórios (coriza, tosse e outros) ou mediante a apresentação de teste negativo (RT-PCR) para a detecção viral.

Ano letivo

O ano letivo das escolas municipais 2020/2021 será composto de 256 dias, organizados em quatro unidades de 64 dias letivos cada. As escolas irão funcionar presencialmente em dias úteis, sendo que os alunos irão frequentá-las em dias alternados, ou seja: segunda, quarta e sexta em uma semana e na semana seguinte terça e quinta, de forma a garantir carga horária igual para todos os alunos.

Nos dias em que os alunos não estiverem presencialmente na escola, eles irão realizar atividades não presenciais: aulas on-line, aulas pela TV, estudos dirigidos e atividades impressas.

Veja também

Morte de petroleiro pode confirmar responsabilidade legal de empresas por casos de Covid-19

Uma ação sobre a morte de um petroleiro da Transpetro deve abrir debate na Justiça …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!