quinta-feira 4 de junho de 2020
Foto: Divulgação
Home / NOTÍCIAS / Presidente da Câmara de Lauro de Freitas propõe renda de R$ 200 para famílias de baixa renda do município
quarta-feira 25 de março de 2020 às 11:52h

Presidente da Câmara de Lauro de Freitas propõe renda de R$ 200 para famílias de baixa renda do município

NOTÍCIAS, POLÍTICA


A indicação de Rosalvo visa minimizar impactos negativos na economia informal por causa do COVID-19

As medidas de isolamento para evitar o contágio da população pelo coronavírus, reduzindo a contaminação por todo o planeta, tem já provocado graves problemas também na economia, sobretudo nas populações mais carentes. A interrupção das atividades geradoras de recursos impactou negativamente a produção, o consumo e os investimentos.

No Brasil, os trabalhadores informais representam 41,4% do mercado de trabalho, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicados em janeiro deste ano. A porcentagem, que representa 38 milhões de pessoas, vem crescendo anualmente.

Em Lauro de Freitas, que tem uma população estimada em 198.440 pessoas e ocupa o 8º lugar no ranking do Estado (IBGE 2019), 35.5% da população tem rendimentos mensais de até meio salário-mínimo por pessoa (IBGE 2010).

Com a sua economia baseada principalmente no comércio – prestação de serviços, compra e venda de produtos, o município já contabiliza três casos confirmados de coronavírus e o poder público intensifica as orientações para que a população evite sair de casa.

“Precisamos lembrar que muitas famílias em Lauro de Freitas pagam as suas contas com rendimentos do trabalho informal e do comércio de rua. Essa atividade já parou e não sabemos quando voltará.”, afirma o vereador Antônio Rosalvo (REDE), presidente da Câmara Municipal de Lauro de Freitas.

O edil propõe um “Programa Bolsa Família Municipal” para amparar as famílias com renda de até R$178,00 neste período de crise e sugere o Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS), como opção de onde o recurso pode sair.

“Estou propondo à Prefeita Moema, via indicação legislativa, a criação deste Programa como forma de garantir o mínimo para que, pelo menos, as famílias possam arcar com as despesas do fornecimento de água, energia elétrica e gás de cozinha (GLP) enquanto a economia não volta a girar.”, esclarece Rosalvo.

O PL proposto define critérios para que as famílias recebam o auxílio. Dentre eles, que não sejam beneficiárias do Programa Bolsa Família do Governo Federal, que sejam formadas por crianças e adolescentes com até 17 anos de idade, apresentem renda familiar per capita menor ou igual a R$178,00 e que estejam inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com dados atualizados há menos de dois anos.

Veja também

Presidente do TSE se reúne com epidemiologistas para ouvir sugestões para as Eleições Municipais

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, conversou na noite desta quarta (3) com …

um comentário

  1. Já de quarentena a uma semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!