quinta-feira 24 de setembro de 2020
Foto: Reprodução/Facebook
Home / NOTÍCIAS / Provável vice na chapa de Moema Gramacho elogia João Leão
quarta-feira 19 de agosto de 2020 às 15:28h

Provável vice na chapa de Moema Gramacho elogia João Leão

NOTÍCIAS, POLÍTICA


Ele disse que a parceria com o vice-governador João Leão sempre deu resultados

Postulante a vice na chapa que tentará a reeleição de Moema Gramacho, o presidente da Câmara de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Antônio Rosalvo (Progressistas), disse que a parceria com o vice-governador João Leão sempre deu resultados. Segundo Rosalvo, Leão viabiliza recursos e projetos para o município e sempre está “atento” às demandas locais.

“Mesmo sem uma aliança formal, eleitoral, tanto ele como o deputado Cacá Leão sempre se preocuparam em trazer verbas públicas, viabilizar projetos. Nunca houve a guerra que muita gente via”, diz o vereador.

No começo do ano, João Leão convidou Antônio Rosalvo para se filiar ao Progressistas, prevendo um acordo para disputar a eleição majoritária em Lauro de Freitas. Rosalvo acredita que o convite do vice-governador ocorreu por conta do “histórico” do presidente da Câmara. Antes de ingressar na Câmara, o vereador foi líder comunitário e é um excelente advogado e procurado concursado do município de Lauro de Freitas.

PP e PT se unem para disputar as Prefeituras de Feira de Santana e ...
João Leão e Rosalvo – Foto: Reprodução/Twitter

Outra característica que ele acredita ter sensibilizado Leão é a capacidade de buscar “consensos” e viabilizar obras. O presidente da Câmara também elogiou a prefeita Moema Gramacho. Disse que a gestora sabe conviver com adversários e tem habilidade política, além de “entregar resultados”.

Biografia

Rosalvo é presidente da Câmara local pela terceira vez e está no terceiro mandato.

Seu nome de batismo é Antônio Rosalvo Batista Neto, 40 anos, pai de dois filhos, é advogado com experiência na área empresarial. Também cursou administração e finanças. Eleito vereador pelo PSDB em 2008, exerceu a presidência da Câmara Municipal de Lauro de Freitas entre janeiro de 2011 e dezembro de 2012. Nascido a 27 de maio de 1979, segundo filho de uma família de pescadores, Rosalvo mudou-se com os pais para o bairro Jambeiro em Lauro de Freitas aos nove anos de idade. Tem quatro irmãos. No Jambeiro, o pai abriu um mercadinho e era disso que a família vivia. O veterano vereador Antônio Rosalvo irá para o seu terceiro mandato de presidente.

Família

Criança, o popular “coquinho” encontrava nas águas da represa do Rio Joanes a brincadeira preferida. A pele e olhos claros renderam-lhe o apelido de infância. “Hoje as crianças não brincam mais na represa porque a água é suja”, conta Rosalvo. “Passávamos os dias pescando, pegávamos tucunarés de 1,5 Kg, 2 Kg”, relembra.

“Poucas pessoas conseguem um peixe no Rio Joanes agora”, verifica. A água apresenta um tom esverdeado e as baronesas estão por todo lado, por causa da poluição. “Essa foi uma das primeiras realidades que me chamaram atenção ao amadurecer e que me levaram ao envolvimento com a vida pública”, conta Rosalvo.

O pioneiro da família em Lauro de Freitas foi Guilherme Rosalvo Moraes Batista, irmão mais velho de seu pai, que comprara um sítio no final da Rua Nova, à margem de uma pequena lagoa, além de uma outra área junto ao final de linha. Guilherme Batista foi também responsável pela precoce vocação do sobrinho para a vida pública.

Embora não tivesse atuação política, Guilherme fazia o que podia pelos vizinhos. Representante comercial de uma marca de cafés, ele distribuía o produto gratuitamente sempre que podia. “Por causa de iniciativas como essa, a família foi se tornando mais próxima da comunidade”, conta.

Rosalvo com 9 anos de idade

Rosalvo (em destaque na foto acima com os irmãos, aos nove anos) estudou da sexta à oitava série na Escola Municipal Edvaldo Boaventura, em Areia Branca, e cresceu participando do dia-a-dia da comunidade. Hoje há transporte escolar, “mas naquela época todas as crianças iam para a escola e voltavam a pé”. A distância que separa a escola da casa em que ele ainda hoje mora é de quase quatro quilômetros.

Mais tarde, quando cursou o ensino médio no Colégio Pirâmide, Centro de Lauro de Freitas, a volta para casa continuava a ser a pé, mas o esforço era triplicado. As aulas começavam às 19h e acabavam às 22h40, quando já não havia transporte público. O último ônibus saía às 21h30. Por falta de escolas na região de Areia Branca, Rosalvo caminhava 15 Km pela estrada de terra, todas as noites, para chegar em casa.

Veja também

Prefeito de Belmonte tem contas rejeitadas

Na sessão desta quarta-feira (23), realizada por meio eletrônico, os conselheiros do Tribunal de Contas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!