terça-feira 20 de abril de 2021
Reunião do Alto-Comando do Exército em maio de 2020, ainda conduzida pelo general Edson Pujol, então comandante do Exército Foto: Divulgação/Exército
Home / CURIOSIDADES / Quem são os 16 generais que decidem o rumo do Exército
quarta-feira 31 de março de 2021 às 16:23h

Quem são os 16 generais que decidem o rumo do Exército

CURIOSIDADES, NOTÍCIAS


Em meio à renúncia coletiva dos três comandantes das Forças Armadas na terça-feira (30) reflexo da crise militar no governo Bolsonaro, o Alto-Comando do Exército voltou aos holofotes.

Presidido e convocado pelo comandante do Exército, o Alto-Comando é composto segundo a coluna de Guilherme Amado na revista Época por 17 generais da ativa que ocupam os postos mais altos da Força: são 16 generais de Exército, ou seja, a patente mais alta da Força, mais o comandante.

Nas reuniões periódicas, geralmente presenciais, mas durante a pandemia virtuais, esses 16 têm a missão de assessorar o comandante.

Entre as tarefas estão análises de conjunturas, definições de operações, orçamentos, projetos e participações da Força em diversos contextos.

É assim em cada uma das Três Forças, que contam cada uma com seu Alto-Comando. O do Exército é o mais importante, por ser da Força mais influente e poderosa.

Nas crises políticas criadas por Bolsonaro, o Alto-Comando sempre discutiu com Pujol como proceder.

Foi dessa maneira, por exemplo, em maio de 2020, quando o presidente cogitou colocar tropas em frente ao STF como uma maneira de responder à decisão de Alexandre de Moraes de suspender a nomeação de Alexandre Ramagem para diretor-geral da Polícia Federal.

E também recentemente, com o problema Eduardo Pazuello, o general da ativa que desgastou a imagem do Exército com seu fracasso no enfrentamento da pandemia.

Nesta tarde, os 16 estão reunidos. E, independentemente da crise, já haveria mudanças nesta semana. Nas reuniões de quarta e quinta-feira desta semana, haverá promoções e aposentadorias de generais, como acontecem três vezes ao ano — em março, julho e novembro.

Ainda não é possível saber quantos generais passarão à reserva na quinta-feira.

Na prática, são eles que decidirão se o Exército seguirá como uma instituição de Estado ou se passará a ser o braço armado do governo.

Confira abaixo a composição atual.

Comando do Exército – Walter Braga Netto;

José Luiz Freitas – Comando de Operações Terrestres;

Marcos Antonio Amaro dos Santos – Chefe do Estado-Maior;

Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira – Departamento-Geral do Pessoal;

Laerte de Souza Santos – Comando Logístico;

Marco Antônio Freire Gomes – Comando Militar do Nordeste;

Lourival Carvalho Silva – Secretaria de Economia e Finanças;

Júlio César de Arruda – Departamento de Engenharia;

Valério Stumpf – Comando Militar do Sul;

Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva – Departamento de Educação e Cultura;

Estevam Cals Theophilo – Comando Militar da Amazônia;

Fernando José Sant’ana Soares e Silva – Comando Militar do Oeste;

Eduardo Antonio Fernandes – Comando Militar do Sudeste;

Sérgio Costa Negraes – Comando Militar do Norte;

José Eduardo Pereira – Comando Militar do Leste;

Guido Amin Naves – Comando de Defesa Cibernética;

André Luis Novaes Miranda – Subcomando de Operações Terrestres.

Veja também

Mais de 335 quilômetros de rodovias passarão por recuperação no oeste da Bahia

Mais de 335 quilômetros de rodovias serão recuperados pelo Governo do Estado no oeste da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!