domingo 20 de junho de 2021
Foto: Reprodução
Home / NOTÍCIAS / Trabalhadores da Refinaria Landulpho Alves fecham acesso à unidade devido a salários atrasados
quarta-feira 9 de junho de 2021 às 11:53h

Trabalhadores da Refinaria Landulpho Alves fecham acesso à unidade devido a salários atrasados

NOTÍCIAS


Funcionários de uma empresa que atua na Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em São Francisco do Conde, região metropolitana de Salvador, iniciaram um protesto na manhã desta quarta-feira (9) conforme o Jornal da Manhã da TV Bahia. O ato foi em frente à sede da refinaria, reuniu centenas cobrando o pagamento de salários atrasados e acordo por rescisão salarial.

O grupo bloqueou o trevo da BA-523 e fechou as duas vias de acesso à RLAM. Segundo os manifestantes, foi liberada somente a passagem de petroleiros da Petrobras, para os serviços de manutenção.

De acordo com os metalúrgicos, cerca de 200 pessoas estão concentradas no local buscando resolução após empregados serem demitidos pela empresa Ecman Engenharia.

“Fez um contrato com os metalúrgicos e quebrou o acordo: não pagou salário, demitiu a maioria e não pagou a rescisão. O povo foi demitido sem salário. Ou seja, a gente trabalhou, a empresa faturou a PL (Participação nos Lucros) da Petrobras, embolsou o dinheiro e não quer pagar. A Petrobras está tentando intermediar, mas sem consenso”, disse Fernando Sudr, um dos manifestantes.

De acordo com Fernando, cerca de 700 pessoas foram demitidas e não receberam a rescisão salarial. Segundo ele, a dispensa foi comunicada via aplicativo de mensagem, na noite do feriado de Corpus Christi.

“Tem funcionário que saiu há um mês e não recebeu o salário. Saíram sem receber o salário, e agora a rescisão, que não foi paga também. Não receberam nada. Para você ter uma ideia, eu fui demitido no feriado de Corpus Christi. Na noite do feriado chegou uma mensagem no meu celular informando. Eu e outras 150 pessoas demitidas por telefone”, disse Fernando.

Segundo os trabalhadores , a Polícia Militar acompanha o protesto e uma equipe do Batalhão de Choque foi acionada para dispersar a manifestação.

“Infelizmente o comando deu ordem para que a gente saia. Mas a gente está resistindo, não sabemos até quando. Está chegando a Choque aqui. Quando a Choque chegar, ou a gente cede ou vai ser preso. Um confronto direto. A gente não vai abrir a guarda”, disse um dos líderes da manifestação.

A PM informou que policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) e da 10ª CIPM foram acionados em razão de uma manifestação realizada na altura do Km 17 da rodovia BA-523, no município de São Francisco do Conde.

Veja também

Polarização entre Lula e Bolsonaro indica fracasso de lideranças da terceira via

O PSDB marcou suas prévias para as calendas de novembro, num gesto celebrado como exercício …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!