domingo 25 de outubro de 2020
Candidatos à prefeitura de Salvador participam do primeiro debate eleitoral — Foto: Divulgação/Band
Home / DESTAQUE / Veja como foi debate dos sete candidatos que disputam à Prefeitura de Salvador
sexta-feira 2 de outubro de 2020 às 07:16h

Veja como foi debate dos sete candidatos que disputam à Prefeitura de Salvador

DESTAQUE, NOTÍCIAS, POLÍTICA


Sete candidatos à Prefeitura de Salvador participaram, na noite desta quinta-feira (1º), do primeiro debate da disputa eleitoral realizado pela TV Bandeirantes, na capital baiana. Estiveram presentes nos estúdios da emissora: Bacelar (Podemos), Bruno Reis (DEM), Celsinho Cotrim (PROS), Hilton Coelho (PSOL), Major Denice (PT), Olívia Santana (PC do B) e Pastor Sargento Isidório (Avante).

Devido à pandemia do coronavírus, o evento não contou com plateia. A emissora também estipulou que os candidatos permanecessem com a máscara durante o debate, só podendo retirá-la na hora de responder às perguntas. O número de assessores no estúdio foi limitado a dois para cada candidato.

Foram escolhidos para participar do debate os candidatos cujos partidos têm representatividade no Legislativo. Os candidatos se sentaram em cadeiras ao redor do cenário obedecendo o distanciamento necessário entre eles, e foram até o púlpito para responder as questões.

O debate foi dividido em cinco blocos:

  • Primeiro bloco: vídeos curtos de apresentação dos candidatos e perguntas de jornalistas do Grupo Bandeirantes.
  • Segundo bloco: perguntas entre candidatos.
  • Terceiro bloco: cada candidato escolheu quem ia perguntar para ele, sendo que cada um só poderia perguntar e responder uma vez. Os tempos para perguntas, respostas, réplicas e tréplicas foram iguais aos do segundo bloco.
  • Quarto bloco: perguntas entre candidatos.
  • Quinto bloco: considerações finais.

No primeiro bloco, sete candidatos responderam sobre o turismo e cultura. Quais são as propostas sobre turismo e cultura para Salvador?

Primeira a responder, Major Denice (PT) afirmou que vai criar 13 centros do segmento na cidade. “Esse grande centro de economia criativa para o fomento de tecnologia, cultura, arte, profissionalizando os nossos cidadãs e cidadãos para trabalhar no pós-pandemia, mas também na reconstrução dessa cidade, porque é isso que nós temos que fazer”.

O candidato Pastor Sargento Isidório (Avante) informou que vai tentar resolver o problema econômico encontrado no pós-pandemia para reerguer os segmentos da cultura e turismo. “Nós sabemos que Salvador, a Bahia, o Brasil foram debilitados por essa crise que trouxe uma maldição para o mundo inteiro. São muitas mortes, são muitas famílias, muitas empresas micro, médias e o pessoal informal, que estão prejudicados”.

O candidato Hilton Coelho (PSOL) prometeu estimular a cultura e o turismo no Centro Histórico de Salvador e nas periferias. “Uma cidade, que por outro lado, oferece a perspectiva do turismo se sentir bem na cidade, uma cidade que combata a desigualdade”, disse.

Bruno Reis (DEM) elogiou as ações feitas pelo atual prefeito de Salvador, ACM Neto, e lembrou do edital lançado nesta semana. “Começamos a dar apoio para essa retomada da economia, com estímulos e incentivos fiscais para o setor hoteleiro. Essa semana lançamos editais com R$ 18 milhões para ajudar todos os artistas, músicos, todo o segmento da cultura da nossa cidade”.

A candidata Olívia Santana (PC do B) prometeu democratizar o calendário cultural da capital baiana. “Vamos democratizar o calendário de eventos, vamos discutir e trazer o setor da cultura e estabelecer uma política cultural de Salvador decente, democrática e segura, para garantir que todas as pessoas tenham oportunidades”.

Já o candidato Celsinho Cotrim (PROS) lembrou da experiência na área de turismo e falou em estratégias para gerar emprego na área. “O turismo, como a pergunta foi feita, ele não pode ser dissociado da cultura e ele tem que ser visto sob a perspectiva da diversidade e identidade cultural. Não adianta ter outro caminho ao não ser chamar o trade turístico, com seus operadores de turismo, agentes de viagens, para discutir quais são as políticas pública de emprego”.

O último candidato a falar sobre o tema foi Bacelar (Podemos). Ele disse que vai criar alternativas para que a cidade seja atração turística durante todo o ano. “Ninguém vai atravessar o Atlântico para vim apenas para o carnaval, o turista virá se tiver um Museu da Cultura Afro-Brasileira, que eles estão deixando fechar, o turista virá se tiver pequenos eventos, geralmente culturais ou de forte conotação étnicas, é isso que vamos fazer em Salvador para gerar mais emprego e renda para a nossa população”.

Demais blocos

No segundo bloco, conforme publicou o G1 Bahia, os candidatos fizeram perguntas entre si e abordaram temas como volta às aulas, mobilidade urbana, educação, esporte, carnaval e apoio à pessoas com deficiência.

No terceiro bloco, debateram temas como política de inovação, violência contra mulher, tratamento de endemias, reforma da previdência e educação para jovens e adultos.

No quarto bloco, os candidatos debateram sobre condições de moradia, iluminação pública, criação de creches e unidades habitacionais , desigualdade social e o genocídio do povo negro.

Considerações finais

BACELAR (PODEMOS)

“Parabéns aos candidatos pelo nível do debate, um agradecimento especial à Rede Sustentabilidade na pessoa de Magno Lavigne, que é o meu candidato a vice-prefeito, ao PTC na pessoa de Ivailton Peixoto, e especialmente o meu agradecimento a você. A você que por onde eu passo, eu ouço vocês. Bacelar será o prefeito, porque Bacelar se preparou. Eu tenho a experiência política e administrativa necessárias para esse momento de Salvador, eu tenho a coragem para mudar o que precisa ser mudado, eu tenho a determinação para mudar o que pode ser melhorado, eu tenho a sabedoria para mudar a inovação e práticas bem modernas para a cidade de Salvador. Salvador dos bairros é a Salvador de todos”.

BRUNO REIS (DEM)

“Obrigado a todos vocês que ficaram até agora nos assistindo. Temos muito orgulho de dizer que investimos 80% dos recursos dessa prefeitura nas áreas mais pobres, que cuidamos de quem mais precisa. Também tenho muito orgulho de fazer parte dessa gestão, que vem transformando a vida dessa cidade em todas as áreas, essa cidade que eu tanto amo. Nos últimos anos, eu tenho respirado essa cidade profundamente, tenho transformado os seus problemas nos meus problemas, conheço cada beco, cada viela, cada baixada, cada canto dessa cidade, estou atualizado das suas necessidades. Adquiri experiência em todos os cargos que passei na minha vida pública e o que eu quero agora é colocar à disposição da minha cidade a força de trabalho com a marca da minha trajetória na vida pública, para fazer a nossa cidade melhorar ainda mais. Salvador não pode parar”.

CELSINHO COTRIM (PROS)

“Chegamos ao final do nosso encontro, agradeço a Deus e em nome do super Geraldo, agradeço a todos vocês, que estão nos assistindo até agora, e nos dando a oportunidade de apresentarmos as nossas propostas. Eu peço a vocês que confiem em mim, que confiem em Popó Freitas como nosso vice-prefeito para chegarmos à Prefeitura de Salvador e transformarmos ela na capital do emprego. Seu filho conosco vai trabalhar, seu irmão conosco vai trabalhar, eu serei o prefeito da Salvador invisível, que é a Salvador de Cajazeiras, da Liberdade, a Salvador de toda a parte da cidade que é excluída. Me deem essa oportunidade, me deem essa oportunidade para poder provar, juntamente com Popó, que nós iremos lutar contra o desemprego, nós iremos lutar contra a insegurança, nós iremos lutar por uma Salvador mais fraterna, mais igualitária”.

HILTON COELHO (PSOL)

“Quem assistiu esse debate percebeu que existe uma falácia. Eles dizem que existe dois polos nessa eleição, mas na verdade são dois polos que pouco se diferenciam. Um que é extremamente agressivo ao nosso povo e outro que não resiste e vai na onda do conservadorismo, mas existe uma outra alternativa também, a frente de esquerda socialista, composta pelo PSOL, pelo PCB e pela Unidade Popular. É preciso afirmar a democracia direta e a capacidade de liderança de Salvador. Salvador é metropolitana, é recôncavo e a partir dessa liderança regional, nós podemos passar resolver, a avançar em problemas que são cruciais para o nosso povo. Nós temos também uma chapa de vereadores que muito nos orgulham, companheiro Marcos Mendes, que é candidato à reeleição, companheiro Hamilton Assis, a companheira Dona Mira, Fábio Nogueira, a companheira Laila, a companheira Isadora, muito nos orgulham e afirmo a nossa cidade vai parar de ser vendida e a capital da resistência vencerá”.

MAJOR DENICE (PT)

“A minha palavra agora é gratidão. Eu quero agradecer a você por ter escutado a gente, escutado as propostas que eu, Fabíola Mansur e os meus vereadores, a nossa coligação trouxemos para transformar essa cidade, para fazer essa cidade um espaço mais digno, mais humano, muito mais evoluído, na perspectiva do social. Eu peço seu voto, votar em mim é se olhar no espelho, é ver essa pessoa negra, da periferia, que estudou, se esforçou e que quer doar tudo que acumulou na sua vida, tudo que produziu na sua construção pessoal para transformar essa cidade. Salvador precisa de mim e a minha missão, a missão que eu escolhi foi cuidar de você, foi cuidar de todas as pessoas e o que eu vou fazer é cuidar da nossa gente”.

OLÍVIA SANTANA (PC DO B)

“Eu inicio agradecendo a Band por essa oportunidade de apresentar as minhas ideias nesse importante debate. Quero agradecer ao meu partido, o PC do B, ao partido Progressista, que é o partido do meu vice, Joca Soares, quero agradecer a vocês, a cada um que ainda assiste a esse debate nesta noite. Quero dizer que com experiência que tenho, com muito amor à nossa cidade, com muita raça para lutar, eu peço a oportunidade de ser prefeita de Salvador, para criar um novo pacto social para a nossa cidade. Vou fazer de Salvador uma cidade de oportunidades e respeito à diversidade que constitui a nossa população. Muito obrigado a todas e todos e vamos juntos construir uma nova história para Salvador”.

PASTOR SARGENTO ISIDÓRIO (AVANTE)

“Quero dizer a todos que sou eu o autor da frase que bandido bom, traficante bom, não é morto, é evangelizado, porque acredito no poder de Deus. Não gosto da história da arminha, da pistolinha e dizer a todos vocês que já me deram uma votação muito boa, que é a mão de Deus, o dedo do povo que faz isso. Quero parabenizar a todos os candidatos a prefeito, o Bruno, o João, a nossa major Denice, Olívia, o nosso querido Celsinho, a Hilton, a todos os candidatos e candidatas a vereadores que estão disputando. Que seja uma campanha de paz, respeitosa, sem agressão, sem violência, onde o povo de Salvador soberanamente escolha aqueles que são melhores. Estou às ordens e quero ser prefeito, porque gosto de cuidar de gente”.

Veja também

Senado Federal entra em recesso por duas semanas

A maioria dos parlamentes justifica a pouca atividade pela proximidade das eleições municipais, marcadas para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!