terça-feira 20 de outubro de 2020
Foto: Divulgação / CMS
Home / NOTÍCIAS / Vereadora protocola moção de repúdio ao secretário de Educação Bruno Barral
segunda-feira 28 de setembro de 2020 às 17:19h

Vereadora protocola moção de repúdio ao secretário de Educação Bruno Barral

NOTÍCIAS


Em entrevista, o Secretário declarou que “quem vai ser professor não são os melhores alunos”

Em recente entrevista, o secretário municipal de Educação, Bruno Barral, disse que “quem vai ser professor não são os melhores alunos”. A fala foi duramente criticada nas redes sociais por profissionais da educação. Uma destas profissionais foi a vereadora Aladilce Souza (PCdoB), professora licenciada da Universidade Federal da Bahia.

“A fala do Secretário vai na contramão do que entendemos como sendo o papel da Educação no Estado Brasileiro e na Cidade de Salvador”, ressaltou Aladilce. “É preciso valorizar e estimular essa profissão, pedra fundamental para o país, como têm feito os países desenvolvidos que possuem elevados índices educacionais e sociais. É um completo absurdo ver o gestor responsável pela política educacional do município apresentar uma visão tão atrasada”, rechaça.

A também Ouvidora da Câmara Municipal realizou uma audiência na última semana pelo órgão, discutindo a construção democrática do regimento escolar. “Recebemos quase 300 professores e professoras que lutam pela educação no nosso município, pessoas que se sacrificam para dar o melhor aos seus alunos. A escolha de ser professor, em sua maioria das vezes, é fruto da vontade de produzir e transmitir conhecimentos”, explica.

“Sempre fui uma ótima aluna durante meu período na escola e quando também escolhi ser professora foi para produzir e transmitir conhecimento! Nosso trabalho é tão duro e importante como qualquer outro. Sem professores não há médicos, advogados e engenheiros. Nós exigimos respeito”, finaliza.

Veja também

Vereador diz que MPF vai apurar supostos crimes ambientais em praias de Salvador

Após o vereador Marcos Mendes (PSOL) ter ajuizado ação junto ao Ministério Público Federal (MPF) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!