sexta-feira 25 de setembro de 2020
Foto: Agência CMS
Home / NOTÍCIAS / Vereadores aprovam ampliação do ‘Auxílio Salvador por Todos’ por mais um mês
terça-feira 23 de junho de 2020 às 17:50h

Vereadores aprovam ampliação do ‘Auxílio Salvador por Todos’ por mais um mês

NOTÍCIAS


A Câmara Municipal aprovou a ampliação por mais um mês do benefício de R$270 do Auxílio Salvador por Todos, além da doação de cestas básicas para pessoas em situação de vulnerabilidade. O Projeto de Lei do Executivo (PLE nº 143/2020) foi apreciado na manhã desta terça-feira (23), em sessão ordinária semipresencial, por meio de videoconferência, a partir do Plenário Cosme de Farias. O presidente Geraldo Júnior (MDB) conduziu os trabalhos. Proposições de vereadores constantes da Ordem do Dia também foram votadas e aprovadas.

Conforme o PLE, o Município poderá pagar ainda mais duas parcelas do Auxílio Salvador por Todos, bem como doar cestas básicas, nos dois meses subsequentes ao final do prazo previsto na Lei nº 9.517 (que institui o benefício no âmbito da Assistência Social, com o objetivo de garantir aos cidadãos que não têm emprego formal as condições mínimas de sobrevivência, diante da pandemia de coronavírus). Desde que sejam observados o objetivo do auxílio e a disponibilidade orçamentária.

O projeto aprovado pela Câmara também repercute na Lei nº 9.524/2020, que ampliou o Auxílio Salvador por Todos para outras categorias e trata da doação das cestas básicas às pessoas inscritas no CadÚnico.

Debate

No debate do PLE nº 143/2020, vereadores dos blocos de oposição e independente defenderam emendas para incluir no Auxílio Salvador por Todos outras categorias, como motoristas de táxis e auxiliares, mototaxistas, motoristas por aplicativos, trabalhadores do transporte escolar, catadores, artistas de rua, guias de turismo e profissionais da área

de cultura e de eventos. “As emendas são para fazer correções”, afirmou a vereadora Marta Rodrigues (PT).

As proposições dos vereadores foram rejeitadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Conforme o vereador Alexandre Aleluia (DEM), presidente do colegiado, as emendas representam aumento de despesa e ferem a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Defenderam a ampliação do benefício para outras categorias os vereadores Luiz Carlos Suíca (PT), Marta Rodrigues, Edvaldo Brito (PSD), Marcos Mendes (PSOL), Sidninho (Podemos), Lorena Brandão (PSC), Aladilce Souza (PCdoB) e Sílvio Humberto (PSB).

“A Prefeitura deveria apresentar planilhas para mostrar que não tem condições de acolher as emendas para ampliar outras categorias no Auxílio Salvador por Todos”, destacou o vereador Sílvio Humberto.

Ainda na sessão, os vereadores Suíca, Toinho Carolino (Podemos) e Aladilce alertaram para o risco do uso político na entrega das cestas básicas nas comunidades.

Da Ordem do Dia, os vereadores não votaram o Projeto de Lei do Executivo nº 138/20, que autoriza o repasse de recursos públicos para o desenvolvimento de Programa de Aprendizagem do Parque Social. A proposição deve ser apreciada pela Câmara até o dia 30 deste mês.

Projetos de vereadores e votos de pesar

Dentre as matérias de vereadores, a Câmara aprovou o Projeto de Lei nº 125/20, de autoria do vereador Luiz Carlos Souza (Republicanos), que dispõe sobre a garantia da prática religiosa em templos e congêneres em períodos de calamidade pública. Aprovou ainda o projeto de Kiki Bispo (DEM), que cria o programa de incentivo a doações de bens de primeira necessidade durante a pandemia da Covid-19.

Aprovou também o Projeto de Lei nº 59/20, de Isnard Araújo (PL), que dispõe sobre a redução proporcional do valor das mensalidades escolares

em toda a rede privada de ensino, enquanto durarem as medidas temporárias de isolamento social por consequência da pandemia.

As moções aprovadas foram de aplausos à Marinha do Brasil pela passagem de sua data magna, notadamente os 155 anos da Batalha Naval do Riachuelo, e de pesar pelos falecimentos do professor de artes Alexandro da Silva Muniz e de Jorge Silva de Oliveira.

Ainda na sessão, por solicitação da vereadora Marta Rodrigues, foi feito um minuto de silêncio pela morte da professora Clarice Parreira dos Santos, por Covid-19. A educadora atuava no Nordeste de Amaralina. A vereadora Aladilce Souza apresentou uma moção de pesar para ser encaminhada aos seus familiares. O vereador Claudio Tinoco (DEM) propôs que o Centro Municipal de Educação Infantil do Vale das Pedrinhas leve o nome da professora.

O vereador Edvaldo Brito criticou a postura do Executivo por não acolher emendas de vereadores e lamentou os falecimentos do professor e historiador Luís Henrique Dias Tavares e do jornalista e escritor João Carlos Teixeira Gomes. No encerramento dos trabalhos, por sugestão do vereador Odiosvaldo Vigas (PDT), houve também um minuto de silêncio em memória das mais de 50 mil vítimas da Covid-19 no país.

Veja também

Crivella fica inelegível até 2026; prefeito ainda pode recorrer ao TSE

Em apenas sete mintos, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE) confirmou nesta quinta-feira, por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!