sábado 24 de outubro de 2020
Foto: Jonas Santos
Home / NOTÍCIAS / “Votar em mim é se ver no espelho”, afirma Major Denice em primeira entrevista na TV
terça-feira 29 de setembro de 2020 às 12:22h

“Votar em mim é se ver no espelho”, afirma Major Denice em primeira entrevista na TV

NOTÍCIAS, POLÍTICA


Candidata à Prefeitura de Salvador pela ‘Coligação que Cuida de Gente’ (PT/PSB), a Major Denice (PT) afirmou, em entrevista ao Que Venha o Povo (QVP), da TV Aratu, na manhã desta terça-feira (29), que é a cara do povo que vive na capital baiana. “Votar em mim, é se ver no espelho”, disse, na entrevista mediada pelo apresentador Casemiro Neto. O bloco de perguntas direcionadas à Major Denice durou dez minutos e envolveu questões sobre segurança, PT e a impressão pessoal dela sobre os demais candidatos ao Thomé de Souza.

A idealizadora da Ronda Maria da Penha iniciou o bloco respondendo o porquê de querer ser prefeita e respondeu: “Sou uma mulher, negra, nasci na periferia de Salvador, estudei em escola pública e, aos 18 anos, passei na Polícia Militar. Aprendi muito, consolidei o que aprendi em casa com painho e mainha. Nós fomos ensinados a cuidar das pessoas. Pude doar, na polícia, esta minha relação às pessoas. Sou essa mulher, essa menina, essa mãe, essa policial, esse mosaico que decidiu colocar seu nome na disputa para cuidar das pessoas. Vim para fazer o que decidi fazer por toda a minha vida, que é cuidar de gente”.

Sem titubear, a petista respondeu a todos os questionamentos, inclusive sobre a violência policial. Lembrou dos bons exemplos que a Polícia Militar do Estado da Bahia (PM-BA) também tem a mostrar, como a própria Ronda Maria da Penha, referência na prevenção da violência contra as mulheres e que foi fundada por ela – que está corporação há 30 anos.

“Sou mãe de um filho negro. Todas as vezes que meu filho sai de perto de mim, fico aflita, a gente pede a Deus. Sinto a mesma aflição”. Denice criticou a generalização sobre a atuação da Polícia Militar, frisando dos bons policiais, maioria na corporação. E defendeu que equívocos cometidos por poucos devem ser responsabilizados. “São mais de 30 mil homens e mulheres. Tem eu, também, que junto com muitos outros policiais criamos e consolidamos uma política pública referência no mundo inteiro para a proteção de mulheres. É claro que existem pessoas que, quando fazem a escolha de não serem profissionais, devem ser responsabilizadas por isso”, comentou a Major Denice.

A candidata frisou que, na sua gestão, a Guarda Municipal trabalhará sob a perspectiva da prevenção. “Acho que a ordem está errada. Nós estamos trabalhando muito, enquanto segurança e instituições, enfrentando o crime. Temos que inverter essa ordem. Temos que trabalhar é na prevenção da violência. A gente tem que melhorar é iluminação pública, limpar espaços onde as pessoas podem se esconder, isso é prevenção da violência. É no município que as coisas acontecem. Onde o nosso cidadão estiver, eles tem que saber que estão protegidos”, explicou a candidata à Prefeitura de Salvador.

Em outro momento, Denice voltou a exaltar a felicidade de ser candidata pelo PT e disse que o partido, ao escolher o seu nome, acatou o resultado de processo democrático. “É o que me mais me fascina no meu partido é essa democracia. O PT preserva isso e assim foi o processo. Quando nós, a partir desse espaço democrático, entendemos e alinhamos um nome para estar nesse lugar, aí essa militância apaixonada, linda, se junta, se une e vai todo mundo para a gente vencer com a nossa proposta porque levar o nosso projeto é muito mais importante. Revolucionamos esse país com o governo Lula, estamos com o governador Rui Costa fortalecendo e, agora, somos um só para colocar o modo petista de governar nessa cidade”.

A petista salientou, ainda, que as pesquisas tendem a revelar o seu crescimento. “As pessoas só estavam acostumadas a me ver de farda, entrando na casa das mulheres para protegê-las. Agora, as pessoas estão conhecendo um pouco mais de mim, ouvindo minhas propostas e as próximas pesquisas dirão”, reforçou a Major. Descontraída, Denice brincou com Casemiro que não precisará de sorte, porque preparou-se para o desafio. “Sorte é para quem não se prepara. Bom desempenho, porque eu estou preparadíssima”.

Veja também

Dos 6 mil presos de SP libertados por causa da pandemia, 7% voltaram aos presídios após novo crime

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou em março deste ano a resolução nº 62/2020, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!