quinta-feira 4 de março de 2021
Foto: Reprodução/Facebook
Home / NOTÍCIAS / Zé Cocá fala sobre sua candidatura para presidir a UPB
segunda-feira 18 de janeiro de 2021 às 14:23h

Zé Cocá fala sobre sua candidatura para presidir a UPB

NOTÍCIAS, POLÍTICA


O prefeito de Jequié e presidente do Consórcio do Médio Rio de Contas, o ex-deputado estadual Zé Cocá (PP), é um dos nomes na disputa interna do Partido Progressista para presidir a UPB.

Conforme informações nos bastidores, a decisão da eleição ficará entre o PT e PP e ocorrerá no início do mês de março.

O PP é o partido com o maior número de chefes de executivos na disputa, seis no total: Adriano Lima, da cidade Serrinha, Chepa Ribeiro, do município de São Félix do Coribe, Marcão, da cidade de Santana, Zé Cocá, de Jequié, Pitágoras, de Candeias e Ricardo de Itaberaba.

Cocá explicou em entrevista ao Bnews, que inicialmente não tinha interesse na disputa, por conta do tamanho e das demandas da cidade de Jequié, mas explica que resolver desistir do recuo após receber ligações de apoio e cobrança de prefeitos de vários partidos para seguir na disputa.

“Prefeitos de vários partidos me procuram, amigos, pessoas que acham que posso ser o nome do consenso para a disputa. Por eu ser maduro, já ter sido secretário da UPB, por ter uma relação forte com a entidade e por hoje estar na presidência do Consórcio do Médio Rio de Contas. Mas essa é uma decisão que só irei tomar depois de conversar com João Leão, e se for uma coisa consensual, em prol da unidade no partido. Se não for consenso eu prefiro apoiar outro nome, fico de fora”, destacou o prefeito de Jequié.

Cocá avalia que o novo gestor da UPB irá comandar a instituição em seu momento mais delicado.

“Será um grande desafio no período mais crítico da UPB. Com a pandemia os municípios perderam muitas coisas, além da receita, também programas que foram descontinuados pelo governo Federal, a exemplo da NASF(Núcleo Ampliado de Saúde da Família).  É preciso atuar em união com a CNM para lutar pela recomposição de receitas e contra a redução dos recursos; este ano, ao que tudo indica, o recurso do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) deve ser menor. No ISS e ICMS, a tendência é de queda, já que, por conta da pandemia, os investimentos pararam. Será um ano muito difícil”, avalia Zé Coca em entrevista publicada pelo Bnews.

Veja também

Relatório preliminar deixa auxílio emergencial fora do Orçamento

A prorrogação do auxílio emergencial pode ficar de fora do Orçamento de 2021. O relatório …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!