sábado 26 de setembro de 2020
Foto: Divulgação
Home / POLÍTICA / AL-BA: Projeto define em lei reconhecimento de territórios indígenas na Bahia
terça-feira 15 de setembro de 2020 às 18:04h

AL-BA: Projeto define em lei reconhecimento de territórios indígenas na Bahia

POLÍTICA


O Projeto de Lei Nº 23.9386/2020, que reconhece a existência de povos indígenas nos limites territoriais da Bahia, entrou em pauta na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), e 24 deste mês é o prazo para a apresentação de emendas ao texto.

O PL é de autoria do deputado estadual Jacó (PT), que cita o “momento de ataques aos direitos dos povos indígenas” como justificativa para o cumprimento do dever de legislador dedicado à causa e de consolidação dos direitos e garantias para aquela comunidade, prescritos nos arts. 231 e 232, da Constituição Federal de 1988. A Constituição do Estado da Bahia também trata da questão indígena em um capítulo especial.

O Projeto de Lei que reconhece formal e expressamente a existência de povos indígenas nos limites de sua extensão territorial prevê, entre outras coisas, que a consciência da identidade indígena será considerada o critério fundamental para determinar os grupos aos que se aplicam o reconhecimento estabelecido por esta Lei.

“Para o reconhecimento da identidade étnica, não será exigido como documento obrigatório a comprovação de qualquer iniciativa das comunidades indígenas junto aos órgãos federais para fins de qualificação e demarcação dos seus territórios”, informa o Artigo 3º do PL 23.9386/2020.

O Artigo 4º reforça o entendimento acima. “O direito à identidade étnica poderá ser reconhecido a partir da autoidentificação como comunidade indígena, comprovada por meio de ata de assembleia da comunidade autoidentificada, convocada especificamente para esta finalidade, ou por meio de registros junto à FUNAI – Fundação Nacional do Índio”.

O PL 23.9386/2020, do deputado Jacó, tem como referência lei semelhante sancionada no Estado do Piauí. Estabelece ainda, em seus artigos 5º e 6º, que a formulação e execução de políticas públicas pelo Estado da Bahia deverão observar o direito reconhecido por esta Lei, e que as terras públicas e devolutas utilizadas por comunidades indígenas serão objeto de regularização fundiária em caráter de propriedade coletiva e irrevogável, sem prejuízo da demarcação dos seus territórios, pelas instituições competentes nos termos da legislação federal.

Veja também

Eduardo Salles se diz surpreso com venda do Parque de Exposições Salvador

O deputado estadual Eduardo Salles (Progressistas) declarou receber “com surpresa a declaração do governador Rui …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!