sexta-feira 23 de abril de 2021
Foto Nelson Jr./SCO/STF
Home / JUSTIÇA / Fux rebate advogado favorável à volta dos culto
quarta-feira 7 de abril de 2021 às 16:24h

Fux rebate advogado favorável à volta dos culto

JUSTIÇA, NOTÍCIAS


Após as sustentações orais no julgamento sobre a proibição de cultos e missas, Luiz Fux disse “repugnar” a manifestação de um dos advogados favoráveis à reabertura das igrejas que citou uma frase de Jesus no evangelho de Lucas: “Perdoai-os, Senhor, eles não sabem o que fazem”.

“Essa misericórdia divina é solicitada aos que se omitem diante dos males. O STF, ao revés, não se omitiu, foi pronto e célere numa demanda que se iniciou há poucos dias. Essa é uma matéria que nos impõe uma escolha trágica e temos responsabilidade suficiente para enfrentá-la”, rebateu o presidente do STF.

“Nossa missão de juízes constitucionais, além de guardar a Constituição, é de lutar pela vida e pela esperança, e foi com essa prontidão que a Corte se revelou, na medida em que estamos vigilantes na defesa da humanidade. De sorte que eu repugno esta invocação graciosa da lição de Jesus”, completou em seguida.

O advogado a quem se dirigiu Fux é Luiz Gustavo Pereira da Cunha, do PTB. Após defender a volta dos cultos e missas, ele disse no julgamento:

“Para aqueles que hoje votarão pelo fechamento da casa do Senhor, cito Lucas 23, versículo 34: ‘Então ele ergueu seus olhos para o céu e disse: Pai, perdoa-lhes, pois eles não sabem o que fazem.’”

Fux marcou para hoje o julgamento após duas decisões contraditórias no STF: no sábado, Kassio Marques liberou a realização de cerimônias presenciais em todo o país; na segunda, Gilmar Mendes manteve proibidos cultos e missas coletivas em São Paulo.

Após as sustentações, Fux anunciou um intervalo no julgamento de 30 minutos.

Veja também

Parlamentares cobram em carta compromisso de Bolsonaro com agenda ambiental anunciada na Cúpula do Clima

Cerca de 20 parlamentares que integram a Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS) aproveitaram …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!