sábado 8 de maio de 2021
Foto: Alan Santos/PR
Home / NOTÍCIAS / O que levou Flávio Rocha, o chefe da Secom, a entregar o cargo
quinta-feira 15 de abril de 2021 às 07:18h

O que levou Flávio Rocha, o chefe da Secom, a entregar o cargo

NOTÍCIAS


A passagem de pouco mais de um mês do almirante Flávio Rocha pela chefia da Secom foi abreviada pela ciumeira que se instalou no Planalto com o fato de ele acumular o cargo com o comando da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência. Aliados do presidente Jair Bolsonaro fizeram forte pressão para tirar a SAE do almirante, que assumiu o posto em fevereiro do ano passado.

Com o movimento, Rocha foi forçado conforme a coluna Radar da revista Veja, a optar entre um dos cargos e escolheu ficar com a secretaria que já comandava há mais tempo, ligada diretamente ao gabinete do presidente Jair Bolsonaro. O almirante foi nomeado interinamente para comandar a Secom (subordinada ao Ministério das Comunicações) no último dia 11 de março, substituindo Fabio Wajngarten. Os dois cargos têm natureza especial — quase a de um ministro.

Chefe do almirante na Secom, o ministro Fábio Faria considerou segundo a Veja, que o militar já havia estruturado a pasta e ajudado o suficiente após a saída de Wajngarten, com quem ele teve atritos. Nomes de possíveis substitutos de Rocha serão levador por Faria a Bolsonaro, que decidiu escolher pessoalmente o novo chefe da comunicação do governo. A previsão é que a definição ocorra até sexta-feira.

Até o momento, o nome mais cotado é o de André da Sousa Costa, que atua como assessor especial do presidente, é coronel da PM do Distrito Federal e amigo do ex-ministro Jorge Oliveira, hoje no TCU.

O sonho de consumo do ministro das Comunicações é emplacar na Secom alguém que já tenha boa relação com Bolsonaro como o almirante, e possa ter ligação direta com o gabinete do presidente — algo que Wajngarten havia perdido.

Veja também

Governo Federal inaugura ponte que conecta os estados de Rondônia e Acre

O percurso para ir de Rondônia ao Acre que antes era feito em parte por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!