sábado 31 de julho de 2021
Foto: Reprodução
Home / NOTÍCIAS / Viúva de miliciano morto na Bahia fecha deleção premiada com MPF, revela coluna
quinta-feira 8 de julho de 2021 às 13:07h

Viúva de miliciano morto na Bahia fecha deleção premiada com MPF, revela coluna

NOTÍCIAS


Viúva do capitão Adriano da Nóbrega, Júlia Emília Mello Lotufo, está perto de homologar conforme o Metrópoles, a fechar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e o Ministério Público estadual do Rio.

Segundo o colunista Guilherme Amado, ela negocia com os procuradores com apoio do advogado, o ex-senador Demóstenes Torres.

A delação já está na segunda fase – ou seja, os procuradores aceitaram.

Viúva de miliciano ligado aos Bolsonaro fecha delação com MPF
Foto: Reprodução

 

Júlia viveu um relacionamento por 10 anos com Adriano. Ela chegou a estar com ele na Bahia, onde o miliciano foi morto pela polícia em fevereiro do ano passado. Na época, teve prisão preventiva decreta e ficou foragida. Posteriormente, a punição passou para prisão domiciliar. Adriano era próximo ao senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

A viúva trabalhava na subdiretoria-geral de Recursos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Ela atualmente responde por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

De acordo com a coluna, foi dela a ideia de fazer um acordo com investigadores. Ela agora negocia com a área do MP que inevstiga participação de milicianos em assassinatos de aluguel, como as mortes cometidas pelo grupo criminoso Escritório do Crime.

Novo casamento

Apenas 8 meses após a morte do miliciano Adriano, a viúva casou-se novamente. E o felizardo foi, curiosamente, um empresário que tinha dívidas com seu ex-marido, como mostra reportagem do jornal carioca Extra.

Segundo a publicação, depois de viver perigosamente com o paramilitar e ex-capitão do Bope, inclusive o acompanhado durante a tentativa de fuga no litoral norte baiano antes da morte em Esplanada, Júlia passou a viver com o empresário Eduardo Vinícius Giraldes Silva.

Por trás do casamento, em regime de comunhão total de bens, investigadores da Polícia Federal acreditam que exista algum tipo de negócio ilícito entre o empresário e o ex-dono da milícia de Rio das Pedras e da Muzema, na zona oeste do Rio. Como viúva, Júlia teria ficado com a herança proveniente de crimes.

Veja também

Hospital Municipal de Salvador retoma cirurgias eletivas

O Hospital Municipal de Salvador (HMS) retomou as cirurgias eletivas na unidade após 120 dias …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!